23/09/2021 às 15h09min - Atualizada em 23/09/2021 às 16h00min

Modelo de negócio inovador gera renda e estimula empreendedorismo

Aplicativo de mobilidade Garupa trabalha com sócio operador nas cidades em que atua

SALA DA NOTÍCIA Jaqueline Rhoden
Divulgação

A alta taxa de desemprego no Brasil tem levado muitas pessoas a abrirem os seus próprios negócios, enquanto outras tantas encontram no empreendedorismo a solução para alguma demanda social. Neste universo, as mulheres ganham força e se destacam cada vez mais, potencializando os mais diversos setores da economia. Elas estão presentes no comércio, na indústria, no varejo, na prestação de serviços e negócios digitais, e à medida em que conquistam melhores posições, reivindicam reconhecimento como personagens importantes - e participantes - do crescimento econômico.

Em uma empresa 100% nacional, por exemplo, os benefícios para o empreendedor e para a sociedade são inúmeros. O Garupa foi criado em 2017, em Santa Maria (RS), e, desde lá, vem democratizando o acesso à tecnologia nas pequenas e médias cidades com um modelo de negócio único. O aplicativo oferece a figura do sócio-operador, que atua como um empreendedor local, levando às comunidades o acesso à tecnologia com rapidez, eficiência e segurança. Ou seja, gera renda, emprego, movimenta a economia local e aumenta a arrecadação tributária.

Taíse Owergoor, é sócia operadora do Garupa na cidade de Ijuí. Trabalhava em uma empresa de táxi e quando ouviu falar do aplicativo decidiu apostar e se cadastrou como motorista. Depois de quatro meses, tornou-se sócia operadora. Na cidade, o Garupa foi o primeiro aplicativo de mobilidade e precisou trabalhar inicialmente com a aceitação dos usuários e depois com a procura por motoristas. Em uma área predominantemente masculina, Taíse conta que enfrentou algumas adversidades: "Para mim foi uma grande superação, pois infelizmente enfrentei muito preconceito por ser uma mulher jovem, mas hoje tenho muito orgulho de ver que passei por cima dos obstáculos e faço parte da família Garupa" .

Quem opta por ser sócio-operador do aplicativo se torna um empreendedor local e leva às suas comunidades vantagens econômicas e financeiras do negócio Garupa. Somado a isso, oferece transporte seguro, confiável e econômico para as pessoas, apoio às iniciativas culturais e sociais locais, incentivando o surgimento de novas lideranças locais, ou seja, o Garupa incentiva muito o empreendedorismo local.

Atualmente, Taíse continua realizando corridas para entender bem as necessidades de todos os públicos envolvidos: "É assim que consigo estar presente, ouvindo meus passageiros e me colocando no lugar dos motoristas, para fazer sempre a melhor escolha para os dois lados."

O sócio operador é o dono do negócio na cidade. O estabelecimento da tarifa em cada município/região é diferente, pois considera os valores de combustível, impostos e outros custos, que diferem de um lugar para o outro. Em cada local onde o Garupa finca a sua bandeira são gerados até 4 empregos diretos e de 10 a 15 indiretos, sem contar os motoristas cadastrados, os Garupers. "Nosso diferencial é o jeito como trabalhamos, sempre presente, entendendo os passageiros e motoristas. Estando presente na cidade, participando das ações sociais, não sendo mais um aplicativo e sim um aplicativo que pensa nos outros." reforça Taíse.

Atualmente, o Garupa conta com 163 sócios-operadores e pretende engajar mais 435 no segundo semestre. As cidades que estão na mira no mês de setembro, em cada estado, são: Bahia (Eunápolis, Itabuna, Jequié, Porto Seguro, Santa Maria da Vitória e São Félix do Coribe), Minas Gerais (Araguari, Formiga, Nova Serrana e Prata), Maranhão (Balsas), São Paulo (Mogi Mirim) e Tocantins (Araguaína).

 
Notícias Relacionadas »
© 2021 Sala da Notícia - Todos os direitos reservados.
contato@saladanoticia.com.br
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp