21/11/2023 às 16h49min - Atualizada em 22/11/2023 às 11h45min

Empresas de transporte podem usar analíticos de vídeo combinados a sistemas de missão crítica como aliados para aperfeiçoar gestão operacional e de segurança

A gestão de empresas de transporte é sempre dinâmica e desafiadora, pois envolve, além da criticidade do tráfego cotidiano de milhares de pessoas e grandes volumes de cargas, a necessidade de lidar com fatores externos como trânsito, congestionamentos, acidentes, roubos, intempéries etc.

Clezia Gomes
Genetec

 

 

 
  • Este cenário exige tecnologia de ponta, com plataforma aberta, unificada e federada para garantir melhorias operacionais, proteção de ativos, das pessoas e de seus dados, bem como a satisfação dos usuários com os serviços oferecidos

São Paulo, SP, Brasil - novembro de 2023 — Todos os dias, milhões de pessoas dependem dos serviços de transporte. Seja para ir ao trabalho usando transporte público, guiando para encontrar amigos e familiares ou fazendo uma viagem dos sonhos para um país distante. O transporte é uma parte essencial de muitas vidas. Mais do que isso, é a espinha dorsal da economia que conecta empresas e consumidores a produtos e serviços no mundo todo.  

À medida que todos se tornam cada vez mais dependentes do transporte, as companhias precisam de novas tecnologias de ponta para acompanhar. As empresas de transporte não se deparam apenas, por exemplo, com a proteção de pessoas e ativos dos pontos A até B. Elas também devem garantir viagens tranquilas e sem interrupções e encontrar maneiras de usar os dados coletados para simplificar processos, reduzir custos e aprimorar as eficiências operacionais.  

“Por este motivo, é importante saber combinar analíticos de vídeo e um sistema de gestão de decisão colaborativo, que ajude as companhias de transporte a encararem esses desafios de frente. Esses investimentos tecnológicos podem também contribuir em decisões que melhorem de forma contínua os aspectos de suas operações”, afirma Michel da Silva, diretor em Desenvolvimento de Negócios da Genetec para América Latina.  

Segundo Silva, nesta era digital, as equipes de transporte estão procurando maneiras de mudar de analíticos tradicionais para práticas digitais mais automatizadas. Os gestores de trânsito das cidades, dos departamentos de transporte público, de operações de aeroportos ou de agências de controle de fronteiras desejam melhores previsões para o trânsito. Além disso, maior visibilidade sobre o fluxo de veículos e de pessoas para otimizar a detecção de atrasos e outros problemas que afetam suas operações.  

Os departamentos de gerenciamento de trânsito das cidades estão interessados, por exemplo, em saber sobre as violações no fluxo do trânsito, como estacionamento ilegal, excesso de velocidade e outras infrações importantes. Querem também saber sobre congestionamento nas estradas e quaisquer padrões que surjam devido ao planejamento deficiente da infraestrutura. Estão ainda focadas em reduzir as emissões, incentivando o uso de outras formas de transporte, como a bicicleta. “Estas questões tornam fundamental obter mais dados sobre como os ciclistas estão usando as ciclovias e se estradas bloqueadas ou infrações de trânsito recorrentes afetam essas iniciativas”, comenta Silva.  

As agências de transporte público e aeroportos são hiper focadas no atendimento ao cliente e na segurança dos passageiros. Por isto, elas querem reduzir o tempo de espera e garantir que mais pessoas usem seus serviços e considerem a experiência confiável, segura e agradável em geral. Outras entidades de transporte, como portos marítimos e controle de fronteiras, têm seus próprios desafios. Desde a gestão de procedimentos operacionais padrão e segurança até a garantia de que pessoas e mercadorias possam circular com eficiência em suas instalações. Além disso, há uma série de considerações regulatórias e operacionais que pesam sobre eles todos os dias.  

“Diante deste cenário, o ideal é que as empresas deixem de depender de processos manuais que usam papel, automação limitada e ferramentas de monitoramento de tráfego desatualizadas. Afinal, já existem tecnologias e ferramentas mais avançadas, que podem ajudar a gerenciar recursos, garantir um fluxo tranquilo de veículos e de tráfego de pedestres, contribuindo para uma tomada de decisões mais bem embasadas. A implementação da tecnologia de analíticos de vídeo é um passo nessa direção”, destaca Silva.  

De acordo com ele, as empresas de transporte usam há muito tempo os analíticos de vídeo para manter suas operações e passageiros seguros. Porém, os analíticos de vídeo avançaram e existem muito mais possibilidades para explorar. Desde a detecção de incidentes em andamento e o monitoramento de aglomerações em terminais até a localização de objetos extraviados e estar ciente quando os veículos de serviço estão atrasados. Os analíticos de vídeo fornecem informações aos tomadores de decisão sobre o que está acontecendo em seus negócios, mais do que nunca, e é preciso atualizá-los para colher os benefícios das novas tecnologias.  

Os principais benefícios dos analíticos de vídeo modernos para as equipes de transporte são:

  • Automatização de alarmes de incidentes – ajudar a aumentar a automação e detectar possíveis incidentes em menos tempo. Analíticos de proteção de perímetro e área detectarão automaticamente, por exemplo, possíveis perigos ou intrusos que estejam próximos ou dentro de uma área restrita. Isto reduz os tempos de resposta e permite que as equipes respondam mais rapidamente. Enquanto a equipe está a caminho, as respostas automatizadas, como anúncios de PA e sirenes de alarme, podem ser ativadas para interceptar os intrusos e detê-los. Outros analíticos de vídeo, como detecção de objetos ou de veículos parados, podem alertar a equipe sobre quaisquer objetos ou veículos abandonados.  
  • Otimização de estacionamento e fluxo de trânsito – na indústria de transporte, analíticos de vídeo são frequentemente usados para monitorar o fluxo de trânsito e detectar congestionamentos. As equipes de gerenciamento de trânsito podem usar esses dados para identificar padrões de trânsito, otimizar rotas, ajustar sinalizações ou fazer outras melhorias nas estradas. Usando analíticos como reconhecimento automático de placas de veículos (ALPR),esses departamentos podem coletar dados para entender melhor como estacionamentos, garagens ou vagas na rua estão sendo usados e ver como podem expandir as capacidades ou fazer ajustes que agilizem as entradas e saídas. É possível ainda automatizar a fiscalização e garantir que apenas veículos autorizados entrem em determinadas áreas.  
  • Melhorando o atendimento ao cliente – Para manter os passageiros satisfeitos, as agências de transporte de massa querem garantir que seus veículos cheguem e partam no horário. Usando analíticos de vídeo, agências de trânsito podem monitorar os horários de partida e chegada de todos os veículos. Podem então trabalhar com a equipe de operações para identificar os motivos de qualquer atraso e tomar medidas corretivas. Eles também podem usar as informações para avisar os passageiros sobre quaisquer atrasos previstos e até mesmo colocar mais veículos em serviço para acomodar a demanda. Sejam aeroportos ou estações de trem, ônibus e metrô, a estimativa de público e analíticos de contagem de pessoas também podem ajudar a aliviar a aglomeração de passageiros nos terminais. As estimativas de público e contagem de pessoas podem também evitar a superlotação nas plataformas após um evento ou jogo esportivo em uma cidade grande.

“O setor de transporte exige sempre muita agilidade nas tomadas de decisões. Por isto, os operadores precisam usar analíticos de vídeo para coletar informações mais valiosas e de outras ferramentas sofisticadas para eliminar interferências e direcioná-las para situações mais importantes. Afinal, eles fazem malabarismos para lidar com muitas situações diferentes ao mesmo tempo e vasculhar fichários para encontrar procedimentos operacionais padrão e implementar planos de resposta deveria estar fora de questão”, ressalta Silva.  

É aqui que um sistema de gerenciamento de decisão, como o Mission Control™ combinado com analíticos de vídeo pode ajudar, pois os operadores tem acesso a novos níveis de inteligência situacional, visualização e recursos completos para gestão de incidentes. Isto porque enquanto o sistema de analíticos de vídeo está ocupado identificando várias ocorrências, o Mission Control coleta e analisa dados dos sistemas operacionais e de segurança para estabelecer quando as situações demandam a atenção dos operadores. “Com esses alertas, o sistema fornece todas as informações necessárias de câmeras de vídeo, analíticos e outras fontes de dados para que os profissionais possam ver exatamente o que está acontecendo. Com estes dados em mãos, é só clicar um botão para acionar os procedimentos de resposta a fim de resolver imediatamente a situação de acordo com as políticas da companhia. Isso os ajuda a passar rapidamente da resposta à resolução, garantindo o compliance”, conclui Silva.  

Sobre a Genetec

A Genetec Inc. é uma empresa global de tecnologia que vem transformando o setor de segurança física há mais de 25 anos. Hoje, a empresa desenvolve soluções projetadas para melhorar a segurança, a inteligência e as operações de empresas, governos e comunidades em que vivemos. Seu principal produto, o Security Center, é uma plataforma de arquitetura aberta que unifica vigilância por vídeo baseada em IP, controle de acessoreconhecimento automático de placas de veículos (ALPR), comunicações e análises. Fundada em 1997 e sediada em Montreal, Canadá, a Genetec atende seus clientes por meio de uma extensa rede de parceiros de canal e consultores certificados em mais de 159 países.  

Contatos para a imprensa:

Ink Comunicação

Clezia Martins Gomes / [email protected] / (11) 99112-6942

Guilherme Russo – [email protected]

 


Este conteúdo foi distribuído pela plataforma SALA DA NOTÍCIA e elaborado/criado pelo Assessor(a):
U | U
U


Notícias Relacionadas »
© 2024 Sala da Notícia - Todos os direitos reservados.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp