07/02/2024 às 17h55min - Atualizada em 08/02/2024 às 20h12min

Hortas ocupam os espaços urbanos e se tornam o “tempero especial” de grandes restaurantes

Engenheiro agrônomo explica como planejar uma horta urbana e os benefícios que essa prática pode trazer

Érica Brito - Pipah Comunicação
Divulgação
Assim como as espécies de flores e folhagens, que já consolidaram sua presença dentro das casas e apartamentos, uma prática que tem se tornado cada vez mais comum, é cultivar o próprio tempero e até algumas frutas e hortaliças, em vasos e jardineiras. Além de ser mais uma opção para quem gosta de ter plantas em casa, ainda traz o benefício de cultivar o alimento de uma forma mais saudável (orgânica) e prazerosa.

A prática não tem se limitado apenas ao ambiente doméstico, muitos locais, principalmente restaurantes, estão aderindo à horta urbana, que reúne vários benefícios como: praticidade, economia, sustentabilidade e, claro, muito sabor.

Seja cultivando ou comprando de hortas parceiras, bons restaurantes garantem o fornecimento de seus ingredientes, agregando valor e sabor aos estabelecimentos. Um exemplo é o Restaurante Mocotó, do chef Rodrigo Oliveira, localizado na zona norte de São Paulo, cuidado pela empresa “Sabor de Fazenda”, produtora de mudas orgânicas que fica na mesma região.  Além de fornecer ervas e hortaliças para diversos locais, o projeto também oferece outros serviços como cursos e treinamentos.

O restaurante coreano Komah, da Barra Funda, conta com ingredientes cultivados na horta da casa de Myung Yul Shin Lee, mãe do chef Paulo Shin. O também paulistano Tuju, de Ivan Ralston, chama atenção inclusive pelo seu espaço, já que todo cantinho ocioso do acaba virando um canteiro. Além disso, conta com três diferentes hortas, aproveitando o espaço interno do local. O estrelado Lasai, no Rio de Janeiro, do chef Rafael Costa e Silva, também mantêm duas hortas agroecológicas, uma no Vale das Videiras e outra no Itanhangá, que garantem 40% das hortaliças utilizadas na sua cozinha, oriundas de produção própria.

Marcos Estevão Feliciano, engenheiro agrônomo da Forth Jardim, empresa especializada no cuidado com as plantas, tem observado o aumento pelo interesse pelo cultivo dos alimentos e reforça os benefícios que as hortas urbanas têm a oferecer.

“Muitos estudos já abordam a “horta urbana” como algo que vai além de uma ideia criativa, reforçando o quanto essa é uma atividade que pode contribuir de forma positiva em pautas como segurança alimentar e crises climáticas.  Sem contar que a criação de espaços para produzir alimentos nos grandes centros urbanos, em alguns casos não deixa de ser também uma maneira de gerar renda”.

O profissional dá o passo a passo de como colocar a sua horta urbana em prática:

- PASSO 1: Avaliação
Inicialmente é importante avaliar o terreno, atentando para detalhes como:
- Se o local é plano ou precisará de algum tipo de adaptação;
- Como são as condições climáticas, quantidade de luz solar e vento que recebe;
- As condições do solo, como está a condição química física e biológica;
- Ter alguma fonte de água próxima, também pode ser um diferencial.

- PASSO 2: Planejamento
Depois de avaliar, o planejamento é primordial. Analise a área disponível e de que forma pretende utilizá-la, já pensando na divisão dos espaços. Tenha em mente o tamanho dos canteiros (que em geral medem entre 90 ou 120cm de largura) e o espaço entre eles - para que seja o suficiente para a passagem de uma pessoa e/ou equipamentos.  Outro fator importante é fazer uma lista dos insumos e ferramentas necessários para colocar as coisas em prática.

- PASSO 3: Definição das Hortaliças
Considerando a avaliação do solo e o clima da região, além de outros fatores como a época do ano e até mesmo a sua preferência, faça a escolha do que deseja plantar. Uma boa alternativa é optar por espécies de fácil cultivo e que entregam uma boa produtividade o ano inteiro. Atente-se para as espécies que convivem bem com as outras e as que necessitam ter o seu próprio espaço para se desenvolver.

- PASSO 4: Preparação do Solo
Essa é mais uma etapa importante para garantir a eficiência da sua horta urbana. O tipo de solo mais adequado pode variar de acordo com as escolhas que foram feitas.  Geralmente o ideal é que se tenha um solo que não seja compacto e que não tenha cascalhos. Medir sua acidez, e fazer a correção quando necessário, é outro passo que deve ser observado.  Além disso, a adubação é essencial para garantir todos os nutrientes indispensáveis para qualidade e saudabilidade das hortaliças. Uma dica é escolher um fertilizante específico para a cultura que deseja plantar, atendendo as necessidades de cada espécie.

- PASSO 5: Plantio
Por fim, é hora de colocar a “mão na terra”. Siga as recomendações, respeitando espaçamento entre as sementes ou mudas, de acordo com a técnica escolhida. Essas orientações são fundamentais, pois influenciam diretamente a produtividade e a qualidade dos temperos e alimentos.

Notícias Relacionadas »
© 2024 Sala da Notícia - Todos os direitos reservados.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp