21/02/2024 às 10h44min - Atualizada em 22/02/2024 às 00h25min

Associação Viva e Deixe Viver divulga ranking dos livros mais lidos por seus voluntários em 2023

Ao todo, contadores de histórias já leram mais de 380 mil livros para crianças e adolescentes hospitalizados e em escolas

Viva e Deixe Viver
Divulgação/ Viva e Deixe Viver

Prestes a completar 27 anos de atuação, a Associação Viva e Deixe Viver, por meio de seus voluntários contadores de histórias, já leu mais 380 mil livros para crianças e adolescentes hospitalizados e em escolas de diversas regiões brasileiras. Deste montante, alguns títulos de literatura infanto-juvenil se destacaram e viraram os queridinhos entre os ouvintes que possuem entre zero e 16 anos. Para exaltar essas obras e promover e incentivar a leitura, a ONG divulga anualmente o ranking “Os livros mais lidos”. 

No total, estão listados os 45 livros mais lidos durante 2023. Entre os cinco primeiros destaques estão o “O sapo bocarrão”, do escritor Keith Faulkner, que ocupa o primeiro lugar. O livro conta a história de um divertido sapo que tem uma boca enorme, é muito guloso e vive perguntando aos outros bichos o que eles gostam de comer. 

A voluntária Andrea Kluge, professora aposentada e especializada em Literatura Infantil e Juvenil, destaca que a obra tem um texto engraçado e dobraduras-surpresa em todas as páginas, brincadeiras gráficas e cores vibrantes, bem como letras grandes para facilitar a leitura das crianças recém-alfabetizadas. “Esse livro nunca sai da minha sacola. Sempre me pedem”, salienta.

Na sequência vem “Cadê? Achou! Hora de Brincar”, ilustrado com recortes tridimensionais em papel que se movem ao abrir o livro ou movimentar a página, de autoria de Dawn Sirett, que permite descobrir os brinquedos escondidos nos cenários repletos de cores. “A vaca que botou um ovo”, de Andy CutBill,  “Até as princesas soltam pum”, de Ilan Brenman e O pote vazio, de Demi ocupam, respectivamente, a terceira, a quarta e a quinta posição no ranking.  

Para chegar na lista com os livros mais lidos, a ONG fez um levantamento do  Diário de Bordo dos Voluntários, um documento preenchido a cada atividade voluntária nos hospitais ou em escolas. Nele, os contadores de histórias relatam as publicações mais lidas e as principais reações das crianças e adolescentes. Além deste ouvintes, também são impactados pela atividade seus familiares ou acompanhantes, médicos, enfermeiros e demais profissionais da saúde. 

Importante instrumento na promoção da leitura, a contação de história é capaz de trazer benefícios fisiológicos e emocionais para crianças, principalmente no ambiente hospitalar. Ela leva sorrisos aos envolvidos, sendo capaz de humanizar a internação e transformá-la em um período de estímulo à imaginação, acelerando o processo de recuperação. “Nossa atividade cria um refúgio da realidade para as crianças e seus acompanhantes. Eles se conectam com novas histórias e isso fica explícito em seus olhares. Nós, voluntários, além de divulgar as obras, também estimulamos os pacientes a se tornarem leitores. É comum os pais se interessarem e pedirem indicações de livros”, finaliza. 

 

Ranking dos oito livros mais pedidos pelas crianças em 2023: 

 

1 - O Sapo Bocarrão, de Keith Faulkner

2 - Cadê? Achou! Hora de Brincar

3 - A vaca que botou um ovo, de Andy CutBill 

4 - Até as princesas soltam pum, de Ilan Brenman

5 - O pote vazio, de Demi 

 

A lista com o ranking completo pode ser conferida no site da Viva e Deixe Viver,  basta clicar aqui para conferir!

 

Sobre a Associação Viva e Deixe Viver: Fundada em 1997 pelo paulistano Valdir Cimino, a Associação Viva e Deixe Viver é uma Organização da Sociedade Civil (OSC) pioneira em diversas frentes e políticas públicas. Por meio da arte de contar histórias, forma cidadãos conscientes da importância do acolhimento e de elevar o bem-estar coletivo, a partir de valores humanos como empatia, ética e afeto.  A entidade também é referência em educação e cultura, por meio da promoção de atividades de ensino continuado. Nesse sentido, conta com o canal Viva e Eduque, espaço criado para a difusão cultural, educacional e gestão do bem-estar para toda a sociedade. Hoje, além dos 519 voluntários contadores de histórias, que visitam regularmente 88 hospitais espalhados pelo Brasil, a Associação conta com o apoio das empresas Pfizer, Volvo, Rede D’Or, Droga Raia-Drogasil, WebJump, Everymind e itbox.Online.


 
Notícias Relacionadas »
© 2024 Sala da Notícia - Todos os direitos reservados.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp