15/09/2021 às 10h58min - Atualizada em 15/09/2021 às 14h54min

Pace layered: método de desenvolvimento tecnológico em camadas

Por Walter Ruiz

SALA DA NOTÍCIA Walter Ruiz
Em tempos de constantes transformações, buscar novas tecnologias para otimizar os processos nas empresas tem sido algo recorrente em todos os setores. Uma metodologia chamada Pace layered, criada pela consultoria Gartner, busca categorizar, selecionar, gerenciar e orientar esquemas de governança como uma forma de proporcionar mudanças tecnológicas, minimizando ou interrompendo conflitos existentes entre os departamentos de negócios e tecnologia da informação.

Embora não seja algo inovador no mercado de tecnologia, o conceito vem sendo discutido por instituições para alinhar as estratégias das áreas envolvidas. É fato que os profissionais de TI buscam trabalhar seguindo uma padronização, adequando-se apenas às mudanças necessárias para que os riscos sejam minimizados. Entretanto, especialistas em negócios são adeptos da flexibilidade, trabalhando pela solução de problemas específicos.

A tensão envolvida nesse processo fez surgir a metodologia Pace layered, que busca um ponto de equilíbrio entre as partes para desenvolver um processo de transformação em camadas ou etapas que consigam se adequar às mudanças necessárias, aplicando melhor viabilidade técnica e estratégias focadas aos pontos de atenção.

Basicamente, todo e qualquer planejamento surge de alguma ideia. São essas ideias que tornam o desenvolvimento de um processo em algo real, principalmente na categorização do Pace layered. Por esse motivo, a consultoria Gartner acredita que existam três tipos de ideias: as comuns, as diferentes e as novas. Conheça melhor sobre cada uma delas:

Ideias comuns: contemplam aspectos do negócio, no qual não há problemas em seguir formas mais tradicionais e amplamente aplicadas no mercado. Até mesmo porque, normalmente, elas precisam atender a uma série de diretrizes regulamentárias. Entretanto, nos casos em que há necessidade de vencer um concorrente em um aspecto particular do negócio, por exemplo, a melhor forma de se fazer isso seria melhorando a performance de execução e não necessariamente criando uma nova maneira de fazê-la.

Ideias diferentes: nesse setor, os líderes não somente querem fazer as coisas de forma diferente - quando comparadas às outras organizações -, mas também desejam especificar alguns detalhes e visualizar diferentes abordagens. A expectativa é que seja possível ajustar variáveis e detalhes de forma recorrente.

Ideias novas: essas ideias correspondem a aspectos do negócio, em que os líderes estão nos estágios iniciais, pensando no conceito. Então ainda não é possível especificar muitos detalhes sobre como os produtos deveriam ser. O que se espera nesse momento são mock-ups, ou provas-conceito, que possam ser testadas de forma rápida e, a partir das informações obtidas nesses testes, especificar melhor o conceito, ou até mesmo decidir se a ideia inicial vale a pena ser perseguida ou não.

Assim como as ideias, existem três camadas no Pace layered que ditam em qual ritmo os processos serão postos em prática pela instituição. São elas:

Systems of Record: geralmente relacionados a aplicativos ou sistemas legados internos que funcionam como banco de dados ou suportam o processamento de transações, gerenciando dados críticos das organizações, ou seja, fundamentais para o funcionamento da empresa. Nessa camada, a taxa de mudança é baixa, porque esses processos são normalmente os mesmos em todas as empresas e seguem regulamentações externas, como, por exemplo, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) para o uso e armazenamento de dados. Além disso, como eles estão relacionados ao core business - e isso é algo que não muda com frequência -, as mudanças acontecem mais devagar.

Systems of Differentiation: nessa camada, as aplicações geralmente são focadas em um único processo, que é específico da empresa. O seu ciclo de vida costuma ser médio, entretanto, é necessário fazer ajustes, adicionar novas funcionalidades e realizar novas configurações para se adequar às mudanças estratégicas ou de mercado e exigências de clientes. Portanto, os sistemas utilizados aqui correspondem aos processos que tornam as empresas únicas, e, assim, elas acabam mudando em uma velocidade um pouco maior do que a camada anterior, para se adaptar e incorporar novas tecnologias.

Systems of Innovation: lugar onde são construídas novas aplicações/softwares, com o objetivo de conquistar oportunidades únicas ou cumprir novos requisitos estratégicos do negócio. Para desenvolver esses projetos, é possível usar os recursos de um departamento de inovação ou mesmo de uma outsourcing de TI. Essa é a camada que se movimenta com mais rapidez e onde é possível realizar mais experimentações. Systems of Innovation: lugar onde são construídas novas aplicações/softwares, com o objetivo de conquistar oportunidades únicas ou cumprir novos requisitos estratégicos do negócio. Para desenvolver esses projetos, é possível usar os recursos de um departamento de inovação ou mesmo de uma outsourcing de TI. Essa é a camada que se movimenta com mais rapidez e onde é possível realizar mais experimentações.

Como o pace layered auxilia na tomada de decisões?

O pace layered é uma ferramenta que pode ser muito útil no processo de tomada de decisão, justamente porque ele permite uma análise integrada do contexto, de forma que as áreas de tecnologia e de negócio possam entender o que está acontecendo e, assim, fazer a melhor escolha.

Isso significa que o processo de sensemaking, que nada mais é do que "fazer entender, criar sentido ou dar significado", também pode ser beneficiado desse cenário, já que, assim, é possível considerar todos os elementos para compreender um determinado contexto, seguindo, pelo menos, três fases fundamentais:

1. Exploração do ambiente;
2. Contextualização do sistema;
3. Aprendizado e atuação sobre o sistema.

Atualmente, com o mundo se transformando em uma velocidade ímpar e, especialmente, se considerarmos os impactos da pandemia do novo coronavírus e a quantidade de mudanças que ela acabou gerando ou acelerando nos últimos dois anos, fica claro que a capacidade de tomada de decisão ágil é cada vez mais necessária. Isso porque, o business agility - que se refere à capacidade de adaptação rápida às evoluções e inovações do mercado - é fundamental para manter ou criar vantagens competitivas.

Com essas estruturas apresentadas, torna-se mais simples segmentar os sistemas e observar os conceitos que se encaixam em cada organização, guiadas, principalmente, pelos processos de experimentação, transformação digital e organizacional. Além disso, a estrutura ainda fomenta maior conectividade e alinhamento estratégico que, consequentemente, resultam em menores taxas de erros.
 
Walter Ruiz é Co-Owner - Business Development da OPUS Software

Notícias Relacionadas »
© 2021 Sala da Notícia - Todos os direitos reservados.
contato@saladanoticia.com.br
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp